Atendimento
(51) 9932-75434

A vida é feita de decisões

Quantas decisões você já tomou hoje? Certamente algumas. Todos os dias em vários momentos tomamos decisões das mais simples, como os alimentos que ingerimos, a roupa que vestimos até as mais complexas como qual escola iremos matricular nossos filhos, qual o bairro que vamos morar e com quem iremos nos casar, caso tenhamos desejo para isso.
O mais curioso é que tendemos a justificar nossas escolhas em explicações lógicas e racionais. Esses argumentos lógicos e pragmáticos são importantes muitas vezes, sobretudo quando trata-se de investimentos econômicos e financeiros. Matemática é uma ciência exata e não aceita ideologias ou crenças.
O que quero abordar são outras questões “racionalmente elaboradas” que fazemos uso para justificar nossas escolhas. Nosso cérebro inventa argumentos para satisfazer nossa razão.
Nossas escolhas estão diretamente relacionadas com aquilo que acreditamos sobre o mundo, sobre as pessoas e sobre nós mesmos. Um dos grandes equívocos numa tomada de decisão é pensar que o futuro irá se repetir. Para que essa crença não torne-se fato, é fundamental observar nossos critérios e padrões de tomada de decisão para avaliar que estratégias são essas que orientam nossas escolhas.
Como tomar uma boa decisão?
É insano querer tomar uma decisão baseada puramente em razão. A emoção é um componente importante e bem-vindo no processo decisório. Uma pergunta muito útil que gosto de me fazer quando tenho que tomar uma decisão é: Para que desejo isso? Essa é uma pergunta íntima e que pode resultar em uma conversa interna bem interessante. É preciso sermos honestos conosco e aceitarmos a resposta que emerge e não cair em armadilhas racionais. Nos processos de coaching, quando uma cliente se dá conta dos “ganhos secundários” de uma escolha, por exemplo, é o primeiro passo para uma boa mudança.
Outro fator importante é nossa intuição. É muito bom valer-se dela também. É uma dádiva e estarmos tranquilos é importante para fazer bom uso dela e nós mulheres, na maioria das vezes conseguimos usa-la.
As pessoas me questionam em como fazer para decidir bem alguma coisa. Estados emocionais equilibrados nos auxiliam muito a fazer boas escolhas. Serenidade é um bom estado emocional para isso. Uma mente serena e confiante consegue avaliar com mais clareza as perdas e ganhos e minimiza muito as chances de arrependimento futuro. Desejo boas escolhas a você hoje e sempre!